Gotham City às claras

Foram décadas de escuridão. Desde que o morcego bateu asas no Beco do Batman, estampado em parede do século passado, muitas águas, enxurradas, tormentas rolaram no Baixo Madalena. Recentemente, o prefeito Fernando Haddad proibiu a circulação de veículos no conjunto de vielas e jogou luz às sombras de Gotham City. Mas há divergência de opinião entre os próprios moradores do lugar… E um consenso.

Blocos e cones (1)

Blocos de concreto e cones instalados em um dos acessos do Beco do Batman (Fotos: Leonardo Raposo)

“A rua é nossa! Nós moramos aqui antes de se tornar um ponto turístico. Precisamos ser consultados sobre qualquer medida e o impacto que vai causar”, diz Pamplona Quagliato, conhecida como ‘a encrenqueira da rua’. “Na época do Tag and Juice [bar em frente à casa que, mais tarde, anexou espaço ao lado do imóvel –já fechado] cheguei a virar mesa de som”.

Marileny Pamplona Quagliato (3)

A moradora Pamplona Quagliato protesta contra o fechamento do Beco

Existem, apenas, quatro casas residenciais no miolo do Beco. Marileny, com 60, é a caçula da comunidade. Quando soube que Haddad vinha, muniu-se de um cartaz. “Faz cinco anos que peço a poda desta árvore. Quando chove dá choque. Somente agora eles fizeram”, revela, lembrando que as trágicas –comuns– enchentes no local ocorrem graças à falta de investimento na expansão de galerias e manutenção de bueiros. “Em 44 anos nunca vi sequer limparem as galerias”, reclama.

Marceneiro Almir é outro morador incomodado com os blocos improvisados

Marceneiro Almir é outro morador incomodado com os blocos improvisados

Os moradores apontam os blocos de concreto improvisados –que impedem o acesso de carros– como medida feia, demorada e perigosa. O marceneiro Almir, na esquina da Harmonia com o Beco, cogitou retirá-los. “Está muito feio, acabando com o visual”, disse. “No mesmo dia da inauguração, choveu à noite, os blocos foram arrastados e os cones foram parar na casa de Dona Rosa, que é no nível da rua, e represou água. É uma pessoa idosa!”, adverte Marileny.

João Batista Silva, há 69 anos no Beco, discorda em alguns pontos da vizinha. “Está maravilhoso. O importante foi abolir o estacionamento. Desde o Brancaleone, há cerca de dez anos, não dormia tão bem”, suspira. “Comentei até com minha esposa. Os manobristas já estavam demarcando vagas no espaço. Era um inferno até o amanhecer”, confessa, aliviado.

Prefeito Fernando Haddad observa grafite de Boleta Bike

Prefeito Fernando Haddad observa grafite de Boleta Bike

Em um ponto, os dois concordam. “O trabalho dos grafiteiros não incomoda, ao contrário, trazem beleza aos olhos”…

O que irrita, segundo eles, é o uso da arte para todo tipo de bandalheira, ‘de shows abusivos a filmes eróticos’. “Uma emissora espanhola esteve durante uma semana, enchendo o saco e pergunto: ‘pagaram alguma coisa aos artistas? É um abuso!”

Blocos e cones

“Queremos garantia de que essa fiação não vai causar risco. Tiraram o paralelepípedo, colocaram conduíte e jogaram cimento. Me faça crer que uma enxurrada não levará tudo e que ninguém vai ser eletrocutado” , decreta a ‘encrenqueira’.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s